MOVIMENTOS SOCIAIS ENQUANTO ESPAÇO DE FORMAÇÃO PARA EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA E ACESSO AOS DIREITOS HUMANOS

  • Eunice Pereira da Silva
  • Racquel Valério Martins

Resumo




O presente artigo tem como propósito refletir quanto aos espaços de movimentos sociais enquanto possibilidade de ambiente formativo no que diz respeito às questões étnico-raciais no Brasil, para tal, centramos nosso enfoque na educação antirracista como acesso aos direitos humanos. Com olhar a partir do protagonismo de mulheres negras organizadas coletivamente em prol da mudança do cenário vigente no que diz respeito prioritariamente a raça, classe e gênero, compreendendo essas categorias como interseccionais no cotidiano da mulher negra brasileira. Este é um estudo bibliográfico, no que diz respeito às abordagens teóricas filiamo- nos ao Pensamento Decolonial (WALSH, 2007; LUGONES 2014) e Feminismo Negro (COLLINS, 2016, 2019; DAVIS (2016); GONZALEZ, 1988, 2011; LORDE, 2003), essa movimentação nos auxilia epistemologicamente na compreensão de pautas que ainda se configuram como demandas nos processos de resistência/enfrentamento de organizações sociais frente ao racismo estrutural que fere cotidianamente os direitos humanos.




Publicado
2022-10-08
Como Citar
SILVA, Eunice Pereira da; MARTINS, Racquel Valério. MOVIMENTOS SOCIAIS ENQUANTO ESPAÇO DE FORMAÇÃO PARA EDUCAÇÃO ANTIRRACISTA E ACESSO AOS DIREITOS HUMANOS. Revista do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos, [S.l.], v. 22, p. 119-126, out. 2022. ISSN 1677-1419. Disponível em: <https://revista.ibdh.org.br/index.php/ibdh/article/view/475>. Acesso em: 07 dez. 2022.
Seção
Artigos