A CULTURA HUMANISTA E AMBIENTAL DIRECIONADA PARA UM MODELO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

  • Renato Alves Vieira de Melo

Resumo




O artigo tem o propósito de enfatizar como a cultura e meio ambiente são alternativas determinantes para alcançar o desenvolvimento sustentável, no entanto, não há como negar a estreita relação que há entre direitos humanos, meio ambiente e sustentabilidade. Qualquer pessoa dotada de um mínimo de racionalidade afirmará que isso não é uma questão de querer, mas uma obrigatoriedade. Destacamos, a consciência e sabedoria de uma visão indígena proferida pelo cacique americano da tribo Suquamish, de nome Seathle, quando em 1855, demonstrou a sua percepção, sobre a importância do meio ambiente e da cultura indígena para obter uma vida mais humana e solidária. Decorrido tanto tempo, a sua narrativa continua atual e em evidência, assim como a do Antropólogo Franz Boas, o pai fundador da Antropologia Cultural, quem valorizava a cultura e contribuiu para descrever que com educação e cultura, o homem pode se desenvolver no seu ambiente.


A compreensão do discurso do cacique Seathle é determinante para discernir a instabilidade que atinge a comunidade internacional no âmbito econômico, ambiental, social e cultural. Atualmente enfrentamos dificuldades com as restrições neoliberais, que reduz a capacidade do Estado em atender os direitos fundamentais, que causa a violação dos direitos humanos e não garante as necessidades básicas da população, como também, aumenta o consumo e desrespeita o meio ambiente. Neste contexto, se faz necessário o comprometimento dos Estados em estabelecer um modelo de desenvolvimento direcionado para um ambiente sustentável que atenda as questões humanísticas com a redução das desigualdades sociais, dos problemas ambientais, da pobreza extrema e que atenda os direitos fundamentais. Um ambiente que assegure a sobrevivência da espécie humana e uma vida saudável faz parte do rol dos direitos humanos e consiste na proteção da dignidade humana, sendo inerente a um ambiente e a um desenvolvimento sustentáveis. Como forma de delimitar o tema, julgamos oportuno ter como referencial metodológico o pensamento de Franz Boas com um estudo etnográfico sobre meio ambiente e a sabedoria do cacique Seathle sobre a cultura indígena nos EEUU juntamente com alguns estudos bibliográficos sobre o assunto.




##submission.authorBiography##

Renato Alves Vieira de Melo

Doutorando em Ciências Sociais pela Universidad de Salamanca e Doutorando em Educação pela Universidad de Burgos; Mestre em Antropologia pela Universidad de Salamanca (2015); Pós-graduação latu-sensu pela Fundação Getúlio Vargas, RJ e Unifor na área Contábil; Professor de contabilidade da Faculdade Integrada da Grande Fortaleza – FGF; pesquisador do Grupo de Investigação de Antropologia e Turismo da UFS/CNPQ e do Grupo de História e Política da Educação (GEFOHPE) da Universidade Federal do Ceará.

Publicado
2019-09-05
Como Citar
MELO, Renato Alves Vieira de. A CULTURA HUMANISTA E AMBIENTAL DIRECIONADA PARA UM MODELO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Revista do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos, [S.l.], v. 19, p. 279-288, set. 2019. ISSN 1677-1419. Disponível em: <http://revista.ibdh.org.br/index.php/ibdh/article/view/410>. Acesso em: 20 set. 2019.
Seção
Artigos